Revolução Digital: Hackeando o Sistema

Esse foi o tema da minha última palestra, marketing digital e e-commerce. E falando em marketing digital, impossível nos dias de hoje ficar fora disso, quer exemplos? Vamos lá, tu acessa teu perfil no Facebook e aparece aquele tênis maneiro que você pesquisou na internet ontem, ou, de repente, aquele ingresso para o show da banda da sua vida.

E você pode se perguntar, que bruxaria é essa? A resposta é simples: netnografia. Já ouviu falar? É uma metodologia de análise mercadológica com base no seu comportamento digital, é isso aí, tudo o que fazemos na rede é detectável e utilizado para nos oferecer as melhoras ofertas e experiências.

Quer mais?! Conhece o Airbnb? A maior rede de hospedagem mundial sem ter nem um único hotel, como?! Economia do compartilhamento, que só é possível por meio de plataformas digitais.

O mundo está mudando, estamos vivendo o início da quarta revolução industrial e esse caminho não tem mais volta, é preciso que saibamos nos adaptar e criar oportunidades a partir daí. E aqui cabe a pergunta de um milhão de dólares: você tem certeza que não quer trabalhar com marketing digital?

Quer mais uma evidência sobre o uso do digital? Certo dia recebo uma DM no Instagram de uma professora de marketing que nunca havia visto na vida, Eloisa Lages, de uma escola pública na Zona Leste de São Paulo me convidando para ministrar uma palestra sobre o tema. Detalhe, só fui conhecê-la no dia da palestra, louco isso né?!

Isso é a força do digital. Em menos de um mês de trocas de mensagens pelo Instagram e depois pelo Whatsapp estava eu no auditório da Etec Martin Luther King falando sobre marketing digital e e-commerce, o que para mim foi uma oportunidade e grande satisfação em poder compartilhar um pouco do meu conhecimento e apresentar para o pessoal uma área tão promissora pela qual sou apaixonado.

E pra falar um pouquinho de e-commerce que ainda é uma área nova e em constante ascensão, aonde o acesso a conteúdo de qualidade é restrito, e por se tratar de uma área que evolui e se transforma rapidamente, fica ainda mais difícil produzir material na mesma proporção e velocidade.

Minha experiência se deu por meio de muito estudo, pesquisa, cursos (que não são lá muito baratos) e com muito trabalho, quando decidi sair da minha zona de conforto e me arriscar no mundo do marketing digital. Alguns podem dizer que foi fácil, mas garanto que não, aliás nada é fácil quando você decide (re) começar.

Voltando para a palestra, que foi a última no Brasil, posso dizer que encerrei minha estadía com chave de ouro. Estou escrevendo esse texto de Dublin, para onde parti no dia 25 de agosto para uma jornada de estudos e pesquisas na área do digital e e-commerce.

Sempre tive vontade de retribuir um pouco daquilo que aprendi e essa palestra na Etec Martin Luther King, para a galera de Marketing e Administração foi a melhor forma. Foi gratificante ver o brilho nos olhos de alguns que ao final da palestra vieram conversar, tirar dúvidas sobre a área e agradecer a oportunidade.

O e-commerce é uma área muito promissora no Brasil e carente de profissionais, por isso em parceria com a Escola do Marketing Digital foram concedidas duas bolsas para o curso PROECOMMERCE que ensina os 9 passos para planejar e gerenciar um e-commerce, e mais 50 bolsas para o curso Facebook Marketing Profissional.

Sigo inquieto e deixo a pergunta: Você tem certeza que não quer trabalhar com marketing digital?

Leave A Comment?